Curriculum Vitae

Nuno Manuel Pires Leitão

Data da última atualização »Last update : 29/06/2012


Nuno Manuel Pires Leitão. É da Universidade Nova de Lisboa. Publicou 5 artigos em revistas especializadas e 26 trabalhos em actas de eventos. Possui 27 itens de produção técnica. Actua na área de Geografia Económica e Social Nas suas actividades profissionais interagiu com 16 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos.


Endereço de acesso a este CV:

http://www.degois.pt/visualizador/curriculum.jsp?key=0070781297643222


Dados pessoais (Personal data)
Nome completo
Full name
Nuno Manuel Pires Leitão
Nome em citações bibliográficas
Quoting name
Leitão, Nuno Manuel Pires
Domínio científico de atuação
Scientific domain
Ciências Sociais-Geografia Económica e Social.
Ciências Naturais-Ciências da Terra e do Ambiente.
Engenharia e Tecnologia-Outras Engenharias e Tecnologias.
Endereço profissional
Professional address
Universidade Nova de Lisboa
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas
e-GEO - Centro de Estudos de Geografia e Planeamento Regional
Avenida de Berna, 26-C
Lisboa
1069-061 Lisboa
Portugal
Telefone: (+351)217908308
Fax: (+351)217908308
Correio electrónico: nuno.p.leitao@gmail.com
Homepage: http://www.fcsh.unl.pt/e-geo
Sexo
Gender
Masculino»Male




Graus Académicos (Academic Degrees)
2005-2008 Mestrado
Master degree
Urbanística e Gestão do Território (2 anos » years) .
Universidade Técnica de Lisboa, Portugal.

2000-2004 Licenciatura
Licentiate degree
Geografia e Planeamento Regional (4 anos » years) .
Universidade Nova de Lisboa, Portugal.





Formação complementar ( studies)
2010-2010 Curso de curta duração
Short course
Implementação de metadados ao abrigo da Directiva INSPIRE.
Instituto Geográfico Português, Portugal.

2009-2009 Curso de curta duração
Short course
Mobilidade e Acessibilidade Sustentáveis.
Liga para a Protecção da Natureza, Portugal.

2007-2007 Curso de curta duração
Short course
Espanhol nível I.
CITEFORMA, Portugal.

2007-2007 Curso de curta duração
Short course
Riscos Naturais e Tecnológicos.
Universidade de Évora, Portugal.

2005-2005 Especialização/ Pós-Graduação
Specialization/ Postgraduation
CAD/GIS.
Centro de Serviços e Apoio às Empresas, Portugal.

2005-2005 Curso de curta duração
Short course
SIG.
GeoPoint, Portugal.





Vínculos profissionais (Professional Positions)
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Jul/2005-Actual Assistente

Instituto da Água
Out/2009-Dez/2011 Técnico Superior 2ª Classe

Plio Território
Mar/2011-Jul/2011 Outra Situação

DHV Portugal
Mai/2008-Set/2009 Outra Situação

GEOIDEIA - Estudos de Organização do Território, Lda.
Jul/2007-Abr/2008 Outra Situação

Universidade Nova de Lisboa
Mar/2005-Jun/2005 Assistente de Investigação

GEOCONCEITO
Nov/2004-Fev/2005 Estagiário





Atividades de Ensino (Teaching activities)
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Set/2008-Actual
Disciplinas lecionadas»Taught units:

  • Ambiente Natural – Clima(Docente)
  • Ambiente Natural – Geomorfologia(Docente)






Atividades de Serviços técnicos especializados (Specialized technical services activities)


Instituto da Água
Out/2009-Dez/2011
Serviço realizado»Executed service:

Plataforma informática da Taxa de Recursos Hídricos


Out/2009-Dez/2011
Serviço realizado»Executed service:

Adequação da IDE do INAG (InterSIG) à Directiva Europeia INSPIRE




Plio Território
Mar/2011-Jul/2011
Serviço realizado»Executed service:

Plano de Urbanização de Salir do Porto




DHV Portugal
Mai/2008-Set/2009
Serviço realizado»Executed service:

Plano Nacional Marítimo-Portuário


Mai/2008-Set/2009
Serviço realizado»Executed service:

Estudo de Impacte Ambiental para o Novo Aeroporto de Lisboa


Mai/2008-Set/2009
Serviço realizado»Executed service:

Estudo de Planeamento e Avaliação Estratégica do IC35, da EN101 Braga/Valença, da EN202 Monção/Melgaço e do IC28 Ponte da Barca/Lindoso


Mai/2008-Set/2009
Serviço realizado»Executed service:

Estudo de Viabilidade das Marinas de Portimão e Ferragudo


Mai/2008-Set/2009
Serviço realizado»Executed service:

Plano Integrado da Rede de Infra-Estruturas de Apoio à Náutica de Recreio no Estuário do Tejo


Mai/2008-Set/2009
Serviço realizado»Executed service:

Estudo sobre o Aeroporto Internacional de Faro como oportunidade para o desenvolvimento competitivo da região do Algarve


Mai/2008-Set/2009
Serviço realizado»Executed service:

Estudos de Impactes Globais: Subconcessão do Pinhal Interior


Mai/2008-Set/2009
Serviço realizado»Executed service:

Consultoria de Tráfego da Subconcessão do Pinhal Interior, da Auto-Estrada do Centro e do Baixo Tejo


Mai/2008-Set/2009
Serviço realizado»Executed service:

Programa de Acção Territorial para o Rio Frio


Mai/2008-Set/2009
Serviço realizado»Executed service:

Analysis of the Evolution of the Alcântara Terminal Considering the New Investment Plan




GEOIDEIA - Estudos de Organização do Território, Lda.
Jul/2007-Abr/2008
Serviço realizado»Executed service:

Estudo de Impacte Socioeconómico ao Plano de Pormenor do Empreendimento Turístico da Herdade da Cavandela (Castro Verde)




GEOCONCEITO
Nov/2004-Fev/2005
Serviço realizado»Executed service:

Geo-referenciação de ortofotomapas, vectorização, correcção e edição de diversos elementos espaciais






Atividades de Formação Profissional (Professional education activities)
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Jun/2010- Actual
Formação profissional»Professional education:

   - Curso de Fundamentos em Proteção Civil






Outras atividades técnico científicas (Other technical-scientific activities)
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Mar/2012-Actual
Atividade realizada»Activity:







Projetos de Investigação (Research projects)
Participação como Investigador
Participation as Researcher
2010-2015
Campanha Local UN-ISDR 2010-2015 “Sempre em Movimento, Amadora é Resiliente"-Project: Local Campaign UN-ISDR 2010-2015 "Always on Movement, Amadora is Resilient"
Referência do projeto»Project reference: n/a.
Campanha Local UN-ISDR
Parceiro(s)»Partners: Grupo PROTECÇÃO CIVIL Portugal; Serviço Municipal de Protecção Civil da Amadora; Universidade Nova de Lisboa.

2005-2011
Recreational Homes in the Hinterland of Urban Regions – Development and Implications-Recreational Homes in the Hinterland of Urban Regions – Development and Implications
Referência do projeto»Project reference: n/a.
Parceiro(s)»Partners: Eastern Norway Research Institute; Ume University; Norwegian University of Science and Technology; NORUT Social Science Research; Lillehammer University College; Tr ndelag Research and Development.
Financiador(es)»Funding: The Research Council of Norway; Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.

2005-2009
Sustentabilidade do Desenvolvimento das Regiões Portuguesas-Development Sustainability of Portuguese Regions
Referência do projeto»Project reference: n/a.
União Europeia - QCA III: POCTI-FEDER
Financiador(es)»Funding: Universidade Nova de Lisboa.

2004-2008
Identidade Territorial e o Desenvolvimento Regional e Local: a Região Oeste de Portugal-IDENTERRA - Territorial Identity in Regional and Local Development - the Oeste Region of Portugal
Referência do projeto»Project reference: FCT/SAPIENS POCTI/GEO/48266/20.
FCT/SAPIENS
Parceiro(s)»Partners: Universidade Nova de Lisboa; Agência para o Desenvolvimento da Região Oeste; Associação para o Desenvolvimento de Peniche; Associação para o Desenvolvimento Rural do Oeste.
Financiador(es)»Funding: Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

2004-2005
Reconfigurações Territoriais e a Mobilidade Residencial das Elites Urbanas, e os Novos Lugares na Área de Lisboa
Referência do projeto»Project reference: n/a.






Línguas (Languages)
Compreende
Understandig
Espanhol (Razoavelmente), Francês (Razoavelmente), Português (Bem), Inglês (Bem).
Fala
Speaking
Espanhol (Pouco), Francês (Pouco), Português (Bem), Inglês (Bem).

Reading
Espanhol (Bem), Francês (Razoavelmente), Português (Bem), Inglês (Bem).
Escreve
Writing
Espanhol (Pouco), Francês (Pouco), Português (Bem), Inglês (Razoavelmente).




Membro de Associações Profissionais/Científicas (Professional/Scientific Association membership)
Mar/2008 - Actual Grupo Proteção Civil Portugal, Membro fundador.
Jul/2005 - Actual Associação Portuguesa de Geógrafos, Membro.
Jul/2005 - Actual TERCUD - Centro de Estudos do Território, Cultura e Desenvolvimento, Membro.
null.
Jun/2004 - Actual e-GEO, Centro de Estudos de Geografia e Planeamento Regional, Membro.
null.




Produção científica, técnica e artística/cultural (Scientific, technical and artistical/cultural production)
Artigos em revistas com arbitragem científica
Papers in periodics with scientific refereeing
1. Oliveira, José; Roca, Zoran; Leitão, Nuno. 2010. "Territorial identity and development: From topophilia to terraphilia", Land Use Policy 27, 3: 801 - 814.
This paper brings about a conceptual and methodological framework for the study of topophilia and its enrichment in terms of development policy and actions seeking (re)affirmation of landscape-related and other territorial identity features. To this end, the results of an empirical verification of a newly introduced concept, named terraphilia, are presented. Records and assessments of the topophilia–terraphilia interface were carried out in the framework of the Identerra Model that enables empirical delimitation and systematization of the state (spatial fixes) and change (spatial flows) of natural, economic, societal and cultural features of territorial identity. The research area was the Oeste Region (a NUTS III, North-west of the Lisbon Metropolitan Area). The promotion of terraphilia may be important in the process of identification and assessment of strategically relevant elements of local and regional development, such as “sense of territorial belonging” and “territorial attractiveness”.

2. Roca, Maria N; Leitão, Nuno. 2007. "Dinâmica Populacional e Políticas Territoriais Europeias em Portugal", Geo UERJ 2, 17: 1 - 19.
A população é um dos recursos endógenos mais importantes para o desenvolvimento dado que, é condição biológica prévia para o funcionamento da economia, sociedade e cultura de um território. Dado que a dinâmica populacional influencia, directamente, o próprio processo de desenvolvimento, o sucesso de qualquer política de desenvolvimento regional depende, necessariamente, do grau de conhecimento existente sobre as mudanças que ocorrem no crescimento e na estrutura da população. Por exemplo, numa região, não é só importante perceber que componentes do crescimento demográfico (natural ou migratório) são mais importantes ou que mudanças se verificam nas relações entre os diferentes grupos etários funcionais . É, também, essencial compreender melhor o carácter e a respectiva natureza por detrás de tais mudanças. Esse conhecimento é uma condição prévia para a formulação e implementação de políticas territoriais que visem potenciar as tendências positivas e minimizar as tendências negativas da dinâmica populacional (Plane e Rogerson, 1994; Siegel, 2002; Lutz et al., Sleebos, 2003).

3. Roca, Maria N; Leitão, Nuno. 2006. "Noção Estratégica Sustentabilidade Demográfica e Desenvolvimento dos Concelhos Portugueses", GeoINova 1, 12: 237 - 253.
Based on the systemic approach to sustainability, the conceptual model of demographic sustainability presented in this paper includes the quantitative and qualitative dimensions. The model was used for the elaboration of a typology of municipalities by means of factorial and cluster analyses, as well as for proposing adequate policies measures. It was found out that, in 2001, a great part of municipalities located in mountains and/or close to the Spanish border had already lost their demographic sustainability while it was at risk in a even greater number of semi-rural coastal and inner municipalities. In order to prevent this demographic deficit, policies should be designed and implemented at the regional level, on the basis of the complementary use of human resources and social infra-structures for which the needed critical demographic mass is regional and not local. In contrast, spatial mobility between urban centres and their peri-urban areas had ensured demographic sustainability of urban areas as a whole. However, the sustainability of these urban regions can be also at risk in the long run. In order to avoid this negative scenario is necessary to promote policies that stimulate harmonious territorial development. While the quantitative dimension continued to be ensured, there was no demographic sustainability in qualitative terms in the group of municipalities in the north-western and central-western parts of the Northern Region, areas of diffused industrialization and/or family farming. Policies for these territories should aim at overcoming the low level of human capital development through measures that minimize the serious problem of school drop-outs and that promote the creation of skilled jobs.
4. Leitão, Nuno; Carvalho, Luís. 2005. "A Noção Estratégica das Ilhas Selvagens", GeoINova 1, 11: 267 - 283.
This paper comes to light after several occurrences that took place in Selvagens Islands. One of the most serious happened in 8th June 2005, implying death threats towards Selvagens Islands Natural Reserve person in charge. This occurrence placed the islands into the newspapers and into our imaginary. In that sense, we will attempt to get to know better this remote archipelago, the most southerly Portuguese territory. The paper will describe and question the archipelago origins, its main biological richness, its special status, its main problems, and the complex matter about Portuguese sovereignty and Spanish claims. This is a way to contribute to a better awareness of one of the most uninjured areas and also one of the most unknown.

Trabalhos completos/resumidos em eventos com arbitragem científica
Papers in conference proceedings with scientific refereeing
1. Leitão, Nuno; Mariano, Ana C. 2012. "A Relevância dos Sistemas de Informação Geográfica na Governação da Água - InterSIG: Infra-Estrutura de Dados Espaciais do INAG", Trabalho apresentado em IIº Congresso da Água, In Actas do IIº Congresso da Água, Porto.
A água é um bem crucial para o desenvolvimento e bem-estar das sociedades. A problemática da governação da água é, frequentemente centrada na relevância das políticas e práticas conducentes à melhoria da gestão dos recursos hídricos. Predominam, por isso, abordagens centradas em questões como eficiência, equidade, saúde ambiental, comummente resumidas numa ideia-chave, sustentabilidade dos recursos hídricos. A boa governação da água deve apoiar-se em informação actualizada e facilmente acessível e para tal, não basta apenas ter um banco de dados, é fundamental ter implementado um sistema de informação geográfica, ajustado às especificidades dos recursos hídricos, permitindo assim apoiar a tomada de decisões em prol da governação da água. Neste contexto, o Instituto da Água, I. P., desenvolveu e implementou o InterSIG, uma ferramenta tecnológica que combina as funções de interface para utilizadores de informação geográfica com as de infra-estrutura de dados espaciais. E o sistema foi disponibilizado, não só aos técnicos do INAG, mas também ao público em geral, bem como se liga em rede com outros sistemas de informação de organismos públicos (nacionais e europeus). O InterSIG é um contribuinte directo, tanto na perspectiva quantiqualitativa do acesso a informação sobre a água, como na problemática da sua gestão, comprometendo-se a responder ao desígnio de uma infra-estrutura suportada na Web, baseada em regras e permissões que unam os produtores e consumidores de informação geográfica numa comunidade de partilha, para melhorar a tomada de decisões e operações, que no caso do INAG, tem como enfoque a governação do recurso água.
2. Mariano, Ana C; Leitão, Nuno. 2011. "InterSIG e PNA2010: Implementação, Desenvolvimento e Integração em Rede", Trabalho apresentado em II Jornadas Ibéricas de Infraestructuras de Datos Espaciales, In Actas das II Jornadas Ibéricas de Infraestructuras de Datos Espaciales, Barcelona.
A água é um bem crucial para o bem-estar das sociedades. A sua boa governança não se esgota em gestos práticos do dia-a-dia, pois alarga-se à implementação de infra-estruturas de dados espaciais, ajustadas às especificidades dos recursos hídricos. Neste contexto, o Instituto da Água, I. P. (INAG), desenvolveu e implementou o InterSIG, uma ferramenta que combina as funções de interface para utilizadores de informação geográfica com as de infra-estrutura de dados espaciais. Este sistema foi disponibilizado, não só aos técnicos do INAG, mas também ao público em geral, bem como possibilita a ligação em rede com outros sistemas de informação de organismos públicos (nacionais e europeus). O InterSIG surgiu aquando da implementação da Directiva-Quadro da Água (DQA), em que o INAG teve a responsabilidade de garantir a sua aplicação. A recolha da informação necessária para os relatórios dos Artigos 3.º e 5.º da DQA impulsionou a criação de uma infra-estrutura que permitisse o alojamento, organização, disponibilização e actualização de informação geográfica nos formatos exigidos pela Comissão Europeia. A sua implementação tornou claro que uma infra-estrutura de informação geográfica como o InterSIG seria relevante não só para as obrigações de reporte no âmbito da DQA, mas também para o sucesso e modernização do INAG. Assim, este projecto foi eleito para integrar o programa “Novo INAG” tendo sido apresentada uma candidatura ao Programa Operacional Factores de Competitividade – Sistema de Apoios à Modernização Administrativa. Presentemente, os principais objectivos do InterSIG são: (i) disponibilização de informação geográfica, através da visualização e exploração de informação geográfica, da consulta de metadados e da exportação de temas geográficos; (ii) agilização do funcionamento e acesso à informação entre os vários departamentos, através da gestão de acessos e responsabilidades, da gestão centralizada de todos os dados geográficos e da gestão de dados históricos; ...
3. Carvalho, Luís; Matias, Magda; Leitão, Nuno. 2010. "Do Risco à Catástrofe, um Desafio para a Protecção Civil – O Risco Sísmico no Município da Amadora", Trabalho apresentado em II Congresso Internacional de Riscos, In Actas do II Congresso Internacional de Riscos, Coimbra.
Os riscos biofísicos constituem uma fragilidade do território. A elevada densidade populacional, estruturas urbanas deficientemente planeadas e tipologias construtivas mal concebidas são os principais factores potenciadores de risco num abalo sísmico. A preocupação do Estado em dotar o País de estruturas e meios de protecção numa eventualidade de natureza sísmica que se possa traduzir em perdas de vidas e bens, resultou na elaboração de vários diplomas, destacando-se o Plano Especial de Emergência para o Risco Sísmico da Área Metropolitana de Lisboa e Concelho Limítrofes, que partiu da definição de cenários, tendo em conta o risco sísmico, para a elaboração do planeamento de emergência. O presente artigo apresenta a metodologia de análise adoptada ao nível do Município da Amadora no que toca a esta matéria (risco sísmico), bem como o impacto ao nível do território, do património edificado e da população. Além do conhecimento dos pontos sensíveis do Município, a análise feita apresenta custos de reabilitação dos edifícios para um cenário de abalo sísmico.
4. Mariano, Ana C; Leitão, Nuno. 2010. "InterSIG: a Infra-Estrutura de Dados Espaciais (IDE) do INAG", Trabalho apresentado em I Jornadas Ibéricas de Infra-estruturas de Dados Espaciais, In Actas das I Jornadas Ibéricas de Infra-estruturas de Dados Espaciais, Lisboa.
O InterSIG é uma Infra-Estrutura de Dados Espaciais (IDE), acessível ao público em geral e, tendencialmente ligado em rede com outros Sistemas de Informação de forma a assegurar a conectividade entre os vários sistemas de informação geográfica de organismos públicos (nacionais e europeus). Permite, igualmente, um cumprimento mais célere dos pedidos externos, sempre com acesso à versão mais actualizada da informação bem como uma optimização da gestão de meios técnicos e humanos da Administração Pública. Com a evolução das tecnologias e dos sistemas de informação geográfica, e a aprovação da Directiva INSPIRE (Directiva n.º 2007/2/CE, de 15 de Maio), foi necessário promover a evolução do InterSIG para dar cumprimento às novas obrigações legais nacionais e europeias (Decreto-Lei n.º 180/2009, de 7 de Agosto), proporcionando novas formas de partilhar dados através de serviços que colocam a informação e a responsabilização do lado produtor. Neste contexto, foi apresentada uma candidatura do INAG ao Programa Operacional Factores de Competitividade (POFC – Sistema de Apoios à Modernização Administrativa (SAMA) com o projecto “Novo INAG”, no qual se insere o subprojecto da manutenção evolutiva do InterSIG. Pretende-se, assim, que o InterSIG se adapte às obrigações decorrentes da Directiva INSPIRE: (i) adopção dos sistemas de referência com base no sistema europeu ETRS89; (ii) compatibilização do perfil de metadados do InterSIG com o Perfil Nacional de Metadados de Informação Geográfica (MIG) e com o Perfil do Water Information System for Europe (WISE); (iii) disponibilização de informação geográfica através de GeoWebServices (WMS/WFS); (iv) ligação a outros sistemas nacionais, nomeadamente o Sistema Nacional de Informação Geográfica (SNIG), o Inventário Nacional de Sistemas de Abastecimento de Água e de Águas Residuais (INSAAR), o Sistema de Informação associado ao Plano Nacional da Água 2010 e o futuro Sistema Nacional de Informação de Títulos de Recursos Hídricos ...
5. Roca, Maria N; Leitão, Nuno. 2009. "Género e Desenvolvimento Local: Análise e Diagnóstico", Trabalho apresentado em VII Congresso da Geografia Portuguesa, In Actas do VII Congresso da Geografia Portuguesa, Coimbra.
Em Portugal, no limiar do século XXI, a situação demográfica era bastante desfavorável, caracterizada, principalmente por uma população envelhecida e pelo despovoamento de vastas áreas do país. Para os próximos anos, prevê-se um défice de população activa, particularmente aquela mais instruída e qualificada, hoje considerada um factor essencial do desenvolvimento socioeconómico. Um aproveitamento mais eficaz e eficiente do capital humano das mulheres poderia ser uma das formas de aliviar estas tendências negativas. Contudo, e apesar de toda a legislação existente e da implementação de programas comunitários e nacionais que visam a igualdade de género, as mulheres continuam, ainda, numa situação socioeconómica inferior à dos homens, apesar dos progressos, por exemplo, na área da educação. Constata-se, também, existirem consideráveis disparidades territoriais no capital humano feminino, o qual nas regiões em que é melhor aproveitado, demonstra ser uma mais valia na implementação de acções nos sectores público, privado e, principalmente no terceiro sector, relacionadas com o desenvolvimento local, especialmente nas áreas rurais. Neste contexto, esta comunicação apresenta um diagnóstico sobre a situação demográfica e socioeconómica da mulher ao nível dos concelhos de Portugal Continental, que servirá de base a propostas de medidas de desenvolvimento local, que considere a igualdade de género. O diagnóstico baseia-se: (i) na análise comparativa dos géneros, utilizando-se as seguintes variáveis: idade, estado civil, naturalidade, nacionalidade, mobilidade territorial (deslocações diárias e migrações), meio de vida, condição perante a actividade económica, ramo de actividade, grupo socioeconómico, profissão, situação na profissão, horas de trabalho; (ii) na aplicação de métodos de análise factorial e de clusters, a partir dos quais se procurará identificar grupos de concelhos com semelhante potencial de capital humano feminino. Os dados foram recolhidos a partir dos ...
6. Carvalho, Luís; Leitão, Nuno. 2008. "Planeamento de Emergência para o Risco Sísmico no Município da Amadora", Trabalho apresentado em XI Coloquio Ibérico de Geografía, In Actas do XI Coloquio Ibérico de Geografía, Madrid.
Os riscos biofísicos constituem uma fragilidade do território. A elevada densidade populacional, estruturas urbanas deficientemente planeadas e tipologias construtivas mal concebidas são os principais factores potenciadores de risco num abalo sísmico. A preocupação do Estado em dotar o País de estruturas e meio de protecção numa eventualidade de natureza sísmica que se possa traduzir em perdas de vidas e bens, resultou na elaboração de vários diplomas, destacando-se o Despacho n.º 32/97 de 21 de Julho (Ministério da Administração Interna), exigindo a toda Área Metropolitana de Lisboa (incluindo o Município da Amadora) a definição de um zonamento do risco sísmico. O presente artigo apresenta a metodologia de análise do risco adoptada, bem como o impacto ao nível do território, do património edificado e da população. Além do conhecimento dos pontos sensíveis do Município, a análise feita apresenta custos de reabilitação dos edifícios para um cenário de abalo sísmico.
7. Roca, Maria N; Leitão, Nuno. 2008. "Segundas Residências em Meio Rural: o Caso da Região Oeste, Portugal", Trabalho apresentado em XI Colóquio Ibérico de Geografia, In Actas do XI Colóquio Ibérico de Geografia, Madrid.
Em Portugal, nas últimas décadas, o espaço rural tem passado por grandes transformações sociodemográficas e no uso do solo. Usos do solo tradicionais, particularmente o agrícola, passam a competir cada vez mais com outros usos. Entre eles, as segundas residências têm vindo a se expandir consideravelmente. Surge assim um novo segmento da população que apesar de habitar o espaço rural temporariamente tem um papel cada vez maior em processos decisórios relacionados com o desenvolvimento territorial Assim, esta comunicação trata de estudar a expansão das segundas residências em espaço rural e tem como objectivos determinar a importância e evolução bem como avaliar preliminarmente as possíveis repercussões sociodemográficas e territoriais desse fenómeno. A região escolhida para o estudo de caso é o Oeste, onde as segundas residências têm registado um crescimento acima da média nacional e onde estão previstos grandes empreendimentos imobiliários no sector do turismo residencial.
8. Roca, Zoran; Oliveira, José A; Leitão, Nuno. 2008. "Desenvolvimento Territorial entre a Topofilia e a Terrafilia: das Palavras aos Actos", Trabalho apresentado em XI Coloquio Ibérico de Geografía, In Actas do XI Coloquio Ibérico de Geografía, Madrid.
A necessidade de evitar perdas e de promover a afirmação da identidade dos lugares e das regiões num contexto de economia e cultura globalizadas ganhou destaque, desde o início dos anos 90, nas agendas de investigação e de políticas de desenvolvimento. Em Portugal, os interesses e as desiguais relações de poder entre os agentes locais e globais das mudanças económicas e culturais, são responsáveis pelo desordenamento do território e a degradação ambiental, pelo desaparecimento da autenticidade cultural e económica e pela adopção arbitrária de identidades globalizadas. Neste contexto, o sentido de topofilia, ou seja, os "laços afectivos entre pessoas e os territórios" (Tuan, 1990:4), mudou dramaticamente, ao mesmo tempo que se tornou mais evidente o fenómeno da descaracterização ("perda de carácter e de singularidade", Houasis & Villar, 2002:1249). Descaracterização é, assim, um antónimo de topofilia. Contudo, quais as características da identidade que necessitam de "ser preservadas" e tornadas “mais competitivas"? Como articular a diversidade, frequentemente antagónica, de percepções e intenções entre os agentes locais de forma a identificar as características desenvolvimentistas mais importantes e assegurar a sua sustentabilidade? Na busca de respostas para estas e outras questões, este artigo apresenta um contributo na recolha e avaliação da topofilia e da terrafilia, um conceito avançado da topofilia, definido como "a ligação afectiva entre as pessoas e os territórios que induzem acções em prol do desenvolvimento" (Roca et al., 2006), através da aplicação conjunta dos modelos conceptuais e metodológicos IDENTERRA (Roca & Roca, 2007) and PROSCA - Prospective Stepwise Consensus Analysis (Oliveira et al. 2005).
9. Leitão, Nuno; Fernandes, André; Marquito, Ana R. 2007. "Espaço Rural Português: da Retrospectiva Histórica às Principais Transformações em Curso", Trabalho apresentado em VI Congresso da Geografia Portuguesa, In Actas do VI Congresso da Geografia Portuguesa, Lisboa.
De uma forma geral, o espaço rural é entendido como as áreas destinadas à agricultura, à criação de gado ou à floresta, ou em alternativa aquele espaço que se opõe ao urbano. Esta bipolarização permaneceu durante muito tempo (e ainda permanece), ou seja, há uma abordagem urbana ou rural ao território consoante as suas principais características. Porém, o espaço rural sempre presenciou outras actividades, tais como a caça, o artesanato ou o pequeno comércio, factores que já assim que assim perturbavam esta distinção bipolar. No início do século XXI, este território é confrontado com novos e complexos desafios, pois apesar do século passado ter sido pródigo em reformas e alterações no espaço rural português, (ex. ocupação de baldios; campanha do trigo do Estado Novo; reforma agrária com a revolução de 25 de Abril; e integração na União Europeia e consequente abrangência pela PAC), o novo século promete ainda mais transformações, que passam, sobretudo, pela transposição para o espaço rural de muitas das características até aqui, essencialmente, urbanas. Assim, esta comunicação tem como objectivos discutir, por um lado, a evolução do espaço rural português até ao presente, e por outro lado, conjecturar sobre as principais transformações em curso, nomeadamente, ao nível da “importação” de hábitos urbanos, da ocupação deste territórios por novos residentes ou da crescente importância do turismo rural e de outras actividades recreativas que usam o seu património natural e cultural. Mas neste contexto de profunda mudança é também importante discutir o papel que as novas culturas desempenham, tais como os valores associados a preocupações ambientais, segurança animal ou qualificação, protecção e valorização de paisagens.
10. Leitão, Nuno; Oliveira, José A; Roca, Zoran. 2007. "Espaço Rural: Noções, Instrumentos e Desafios", Trabalho apresentado em VI Congresso da Geografia Portuguesa, In Actas do VI Congresso da Geografia Portuguesa, Lisboa.
Apesar de Portugal ser um país de população predominantemente urbana, o espaço rural ocupa a maior parte do território português. Não obstante, esta parcela não tem merecido a atenção adequada das políticas de ordenamento do território, pois estas têm privilegiado, essencialmente, as áreas urbanas. Importa, por isto, avançar com uma discussão sobre a actual noção de espaço rural, tentando ultrapassar uma visão redutora, dentro do actual quadro normativo que regula e orienta a actividade de planeamento, onde a prática de determinado tipo de actividades (agrícolas, pecuárias, florestais ou minerais), a par da dimensão demográfica dos aglomerados, é o principal elemento de caracterização. Esta postura normativa é responsável por um conjunto de problemas que se traduzem em desequilíbrios profundos entre o espaço urbano e rural. Assim, persiste um espaço rural despovoado, com uma população maioritariamente envelhecida, onde as actividades agrícolas, florestais ou pecuárias foram abandonadas ou são geridas, maioritariamente, sem inovação e espírito competitivo. Mas há, também, o espaço rural ameaçado pelos fenómenos da urbanização desordenada e pela desqualificação paisagística. Para além destes, existem outros problemas em relação com os acima referidos que, de uma forma ou de outra, condicionam o desenvolvimento e a importância do espaço rural no contexto nacional, o que inibe um contributo mais positivo para o crescimento e desenvolvimento socioeconómico do país. Assim, esta comunicação tem como objectivos discutir a actual noção de espaço rural, aceitando as suas especificidades e visando, simultaneamente, determinar as oportunidades e os desafios que se colocam, analisar as implicações dos instrumentos de gestão territorial e antecipar algumas das principais transformações em curso ao nível da diversificação da base económica de produtos oferecidos por estes territórios.
11. Oliveira, José A; Roca, Zoran; Leitão, Nuno. 2007. "Terrafilia and Local Development from the Rethoric to the Strategic Planning", Trabalho apresentado em Joint Congress of the ERSA (47th Congress) and ASRDLF (44th Congress), In Proceedings of the Joint Congress of the ERSA (47th Congress) and ASRDLF (44th Congress), Paris.
12. Roca, Maria N; Leitão, Nuno. 2007. "The Sociodemographic Dimension of Sustainability at the Local Level: the Case of the Oeste Region, Portugal", Trabalho apresentado em Joint Congress of the ERSA (47th Congress) and ASRDLF (44th Congress), In Proceedings of the Joint Congress of the ERSA (47th Congress) and ASRDLF (44th Congress), Paris.
In Portugal, a major trend over the last decades of the 20th century was the aggravation of sociodemographic disparities among areas with different degrees of urbanization. By the end of the 1990s, large rural areas suffered from depopulation, ageing and social marginalization, lack of social infrastructures for the elderly, bad housing conditions, low education level, dependence on social welfare and weak diversification of the economic base. On the other hand, suburban and peri-urban areas experienced population densification, thus concentrating human and social capital, but, also, growing pressures on land use for housing, on health and educational facilities, increase in the number of single parent and unstructured families, unemployment and social marginalization. However, the employment function continued to be concentrated in the larger urban centres, which lead to the strong expansion of their commuting areas. In parallel, the central parts of larger cities experienced depopulation, ageing, house degradation, together with gentrification. Consequently, due to the abovementioned sociodemographic unbalances the sustainability of spatial development has been at risk in a large part of Portugal. This paper focuses on the sociodemographic dimension of local development sustainability. Assuming that urban, suburban, peri-urban and rural areas quite differ concerning indicators of sociodemographic sustainability, the objectives of the paper are: (i) to produce a typology of freguesias (engl. parishes, i.e., the smallest territorial–administrative units) based on such indicators for the last inter-census period 1991-2001; (ii) to compare the obtained typology with the still official 1998 Classification of Freguesias into “predominantly urban”, “medially urban”, predominantly rural”, based on population size and density and land use allocation in Municipal Master Plans; (iii) to suggest guidelines for sustainable local development in the context of the National ...
13. Roca, Maria N; Leitão, Nuno. 2007. "A População como Elemento Identitário dos Territórios: o Caso do Oeste", Trabalho apresentado em VI Congresso da Geografia Portuguesa, In Actas do VI Congresso da Geografia Portuguesa, Lisboa.
Esta comunicação tem como objectivo principal estudar a população, enquanto elemento identitário dos territórios, através da aplicação do modelo IDENTERRA, que considera ser a identidade territorial determinada pela singularidade de uma área geográfica em termos das suas paisagens e dos seus estilos de vida, bem como um recurso primordial para o desenvolvimento local e regional. Consequentemente, mudanças na dinâmica e estrutura populacionais provocam, inevitavelmente, mudanças na identidade de um território dado que a população não deve ser encarada apenas como um factor de formação, transformação e conservação da paisagem e estilos de vida mas, também, como um dos seus principais elementos. Nesse contexto, o estudo da população compreende os padrões espaciais de distribuição, as características estruturais e a mobilidade das pessoas presentes permanente ou temporariamente num território. A região escolhida para a aplicação do modelo IDENTERRA é a Região Oeste, caracterizada por uma diversidade considerável de paisagens e estilos de vida. Produzir-se-á uma tipologia, à escala da freguesia de acordo com as características e dinâmicas da sua população, tentando contribuir para uma melhor compreensão das mudanças na identidade desses territórios ocorridas na última década, relacionando-as com o processo de desenvolvimento local. Os modelos estatísticos aplicados são a análise factorial e a de clusters. São utilizados indicadores relacionados com a população presente e residente, incluindo a agrícola, tais como: composição por sexo e idade, crescimento, estado civil, naturalidade, nacionalidade, nível de instrução, meio de vida, condição perante a actividade económica, lugar de trabalho/estudo em relação ao lugar de residência, e religião.
14. Roca, Zoran; Oliveira, José A; Leitão, Nuno. 2007. "Topofilia e Terrafilia: do Sentimento à Acção para o Desenvolvimento", Trabalho apresentado em VI Congresso da Geografia Portuguesa, In Actas do VI Congresso da Geografia Portuguesa, Lisboa.
15. Roca, Maria N; Leitão, Nuno. 2006. "Population Change and EU Regional Policies in Portugal", Trabalho apresentado em RSA 2006 Conference - Shaping EU Regional Policy: Economic, Social and Political Pressures, In Proceedings of the RSA 2006 Conference - Shaping EU Regional Policy: Economic, Social and Political Pressures, Leuven.
In Portugal, intra and inter-regional disparities in demographic change and structures have significantly increased over the last decades. Iner-regional differences have generally grown between coastal regions, densely populated and inner regions, depopulated and aged. Intra-regional disparities have grown between rural areas with population decrease and ageing and urban areas with population decrease which could be even greater if there was not immigration, and peri-urban areas demographically growing basically due to in-migration. Given that a population is the most important endogenous resource in a region, demographic changes directly influence the development process itself. Therefore, the success of any regional development policy will depend on the knowledge about changes in population growth and structures. For example, it is important to understand which components (natural change or migration) have determined demographic growth or which changes took place in ratios between age groups such as, pre-active, active and post-active. This paper brings about a typology of Portuguese regions in accordance with population dynamics and the relations between age groups, during the last inter-census period. The geographic unit is the municipality. Forty eight indicators are selected. In order to reduce the amount of information without loosing its quality, and to obtain structural relations between indicators which cannot be detected in a too large set of original variables, factorial analysis is applied. The obtained factor scores are used as inputs for the cluster analysis in order to produce the typology. Various agglomeration methods are tested so as to choose the most adequate one. On the basis of the identified regions, an analysis of regional development policies adopted in regions considered in risk of loosing demographic sustainability is made in order to evaluate if the measures from the Regional Development Plan for the 2000-2006 of the EU Structural ...
16. Roca, Maria N; Leitão, Nuno. 2006. "Second Residences and Landscapes in Rural and Peri-Urban Areas of Portugal", Trabalho apresentado em 22nd Edition da Permanent European Conference for the Study of the Rural Landscape - European Rural Future: Landscape as an Interface, In Proceedings of the 22nd Edition da Permanent European Conference for the Study of the Rural Landscape - European Rural Future: Landscape as an Interface, Berlim.
In Portugal, during the nineties, the number of second residences has increased at a considerably higher rate (40%) than the number of permanent residences (16%) and it nowadays represents 20% of the total number of dwellings. This growth has to do mostly with (i) the increase in living standards of the population, (ii) the expansion of the modern nationwide road network and generalised use of private automobiles, (iii) the still strong bonds to the place of origin, mostly rural, among the first and second generation of rural to urban migrants and among Portuguese emigrants that spend weekends and/or their vacations in their former permanent residences, (iv) the increasing number of foreigners, mostly retirees, that spend a significant part of the year in Portugal. It is likely that the expansion of second residences will continue and it is a top priority in the recently adopted National Strategic Plan for Tourism Development. The objective of this paper is to characterize the expansion of second residences and to discuss its effects on rural and peri-urban landscapes in the Oeste Region, NW of the Lisbon Metropolitan Area. This region is above the national average concerning the presence (25% of the total number of residences) and growth of second residences (42% in the nineties), it has been selected as a target area for the development of this kind of tourism within the above-mentioned Strategic Plan, and its landscapes have already undergone dramatic changes due to this phenomenon.
17. Roca, Zoran; Oliveira, José A; Leitão, Nuno. 2006. "From Topophilia to Terraphilia: Landscapes, Lifestyles and Development", Trabalho apresentado em 22nd Edition of the Permanent European Conference for the Study of the Rural Landscape - European Rural Future: Landscape as an Interface, In Proceedings of the 22nd Edition of the Permanent European Conference for the Study of the Rural Landscape - European Rural Future: Landscape as an Interface, Berlim.
Topophilia, or “the affective bond between people and place, or setting” (Tuan 1974), changes with the (re/de)generation of territorial identity within the global economy and culture. In a highly globalized country such as Portugal, strong expressions of topophilia can be found in diverse traces of cultural heritage, from rural and urban landscapes to artisanship and gastronomy. It has been generally accepted that it is necessary to valorize territorial identity as a development resource. Nevertheless, a reduction of ecological and demographic sustainability, as well as deterioration of local social and economic autonomy, accompanied by chaotic land use and visual pollution, has increasingly affected all country. Why is there a growing gap between the claims in favor of territorial identity and anti-identity reality and, in fact, the fading of topophilia? Answers to this issue may be sought in many directions, but the practicality of solutions may be jeopardized by the limitations inherent to the proper notion of topophilia. The objective of this paper is to propose a way out from the conceptual and methodological limitations of topophilia. It is based in the experience of applying the IDENTERRA Model, an analytical framework for recording and categorizing landscape- and lifestyle-related changes at regional and local levels. The study area is the Oeste Region of Portugal, a rapidly urbanized, but still largely rural NUTS III, located NW of Lisbon Metropolitan Area. The reformulation of the notion of topophilia is proposed by introducing a new concept – terraphilia, defined as “affective bond between people and territory that encourages local development action”.
18. Roca, Maria N; Leitão, Nuno M. P. 2005. "Demographic Sustainability in Portugal: Towards a Typology", Trabalho apresentado em 14th European Colloquium on Theoretical and Quantitative Geography, In Proceedings of the 14th European Colloquium on Theoretical and Quantitative Geography, Tomar.
A conceptual-methodological contribution to the study of demographic sustainability is proposed. Demographic sustainability is conceived in its quantitative and qualitative dimensions. A territory achieves its quantitative demographic sustainability when there is an optimal relation among sexes and age groups and its qualitative sustainability when there is an optimum level of labour force participation, education and skills of the population. A typology of Portuguese counties according to demographic sustainability is developed. Evidence was found that by 2001, demographic sustainability was at risk in a large number of Portuguese coastal and inner rural and semi-rural counties. On the other side, the coastal peri-urban areas, as well as the large cities and almost all medium-sized cities, both on the coast and in the interior, were demographically sustainable either in the long or short/medium run, or in both terms. Thus, the traditional dichotomy between the coastal and interior regions from earlier periods ha been reduced while the dichotomy between rural/semi-rural and urban/peri-urban areas had persisted.
19. Roca, Maria N; Leitão, Nuno M. P. 2005. "População Portuguesa e Sustentabilidade da Paisagem Agrícola: uma Tipologia de Concelhos", Trabalho apresentado em X Colóquio Ibérico de Geografia, In Actas do X Colóquio Ibérico de Geografia, Évora.
20. Ferreira, Maria J; Leitão, Nuno M. P. 2004. "Reconfigurações Territoriais e a Mobilidade Residencial das Elites Urbanas", Trabalho apresentado em V Congresso da Geografia Portuguesa, In Actas do V Congresso da Geografia Portuguesa, Guimarães.

Artigos em revistas sem arbitragem científica
Papers in periodics without scientific refereeing
1. Leitão, Nuno. 2007. "O Território Português Visto por Professores de Geografia: uma Análise Estatística", APOGEO, 33: 6 - 19.

Trabalhos completos/resumidos em eventos sem arbitragem científica
Papers in conference proceedings without scientific refereeing
1. Leitão, Nuno. 2012. "Normais Climatológicas Da Amadora (1979-2011)", Trabalho apresentado em 48º GeoForum, In Actas do 48º GeoForum, Bragança.
2. Leitão, Nuno; Carvalho, Luís. 2007. "Mise en Cohérence des Politiques Publiques dans les Territoires Transfrontaliers – Étude de Cas: Incendies Forestiers", Trabalho apresentado em II Séminaire Scientifique Transnational à Bayonne, In n/a, Bayonne.
3. Carvalho, Luís; Leitão, Nuno. 2007. "O Impacto do Fenómeno Sísmico no Património Edificado: o Município da Amadora", Trabalho apresentado em 26º GeoForum da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, In n/a, Lisboa.
4. Leitão, Nuno; Carvalho, Luís. 2006. "TIG e Análise Factorial na Valorização da Diversidade Territorial para o Turismo", Trabalho apresentado em I Conferência Nacional de Turismo e Tecnologias de Informação Geográfica, In Actas da I Conferência Nacional de Turismo e Tecnologias de Informação Geográfica, Lisboa.
5. Leitão, Nuno; Roxo, Maria J. 2006. "La Sécheresse et la Désertification", Trabalho apresentado em Séminaire Scientifique Transnational à Bayonne, In Proceedings of the Séminaire Scientifique Transnational à Bayonne, Bayonne.
6. Roca, Zoran; Oliveira, José A; Leitão, Nuno. 2006. "Da Topofilia à Terrafilia: Paisagens, Modos de Vida e Desenvolvimento Territorial", Trabalho apresentado em XX Encontro Nacional de Professores de Geografia, In Actas do XX Encontro Nacional de Professores de Geografia, Peniche.

Textos em jornais ou revistas
Texts in newspapers or magazines
1. Leitão, Nuno M. P. 03 set. 2010. "Subconcessão do Pinhal Interior Sul: loucura ou opção certa" A Comarca da Sertã, 11 - 11.
2. Leitão, Nuno. 20 nov. 2009. "Um pacto com o optimismo" A Comarca da Sertã, 2 - 2.
3. Leitão, Nuno. 30 maio 2008. "Universidade Lusófona estuda e visita Pinhal Interior Sul" A Comarca da Sertã, 2 - 2.
4. Leitão, Nuno. 07 set. 2007. "A CULTURA AO SERVIÇO DO DESENVOLVIMENTO: A BIBLIOTECA DA FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN DA SERTÃ" A Comarca da Sertã , 2 - 2.
5. Leitão, Nuno. 09 fev. 2007. "O POLICENTRISMO ENQUANTO SOLUÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO" A Comarca da Sertã , 2 - 2.
6. Leitão, Nuno. 31 dez. 2006. "A relação entre a Geografia e o Turismo" Georam - Revista da Associação Insular de Geografia, 19 - 19.
7. Leitão, Nuno. 03 maio 2006. "Apostar no Turismo" Expresso do Pinhal , 15 - 15.
8. Leitão, Nuno. 03 jun. 2005. "Pinhal Interior - é preciso entreajuda" A Comarca da Sertã , 12 - 12.

Outra produção científica
Other scientific production
1. Leitão, Nuno M. P. 2008. "Espaço Rural: Definição, Estado E Dinâmicas. Que Futuro(S) para a Ruralidade em Portugal?", 150 pp.. Lisboa: Instituto Superior Técnico - Universidade Técnica de Lisboa.
The rural space in Portugal has undergone multiple transformations that have altered its major earlier characteristics, which distinguished it from the urban space. This evolution has been felt more in the developed countries, where the rurality passed, or is still passing, through significant transformations and this, in turn, has been more discussed and studied there than elsewhere. The ongoing changes have largely been related to the diminished rural exodus, the emergence of new dynamics and opportunities in rural areas, an increasing demand for areas that do not share problems of the urban space, substantial improvements of different socioeconomic indicators, etc. In this context, research issue at stake is to spatially identify these changes, but also, to understand if the spatial development agents are prepared for this new rurality, as well as to perceive if the PNPOT and the PDR have been adequately anticipated and adapted to the current processes. Responding to such issues should contribute towards the achievement of a greater territorial cohesion and the anticipation of the emerging processes in the rural areas.



Apresentação oral de trabalho
Oral work presentation
1. Leitão, Nuno M. P. Normais Climatológicas Da Amadora (1979-2011),48º GeoForum,Bragança,2012 (Conferência ou palestra).
2. Mariano, Ana C; Leitão, Nuno M. P. InterSIG: a Infra-Estrutura de Dados Espaciais (IDE) do INAG,I Jornadas Ibéricas de Infra-estruturas de Dados Espaciais,Lisboa,2010 (Conferência ou palestra).
3. Leitão, Nuno M. P; Fernandes, André; Marquito, Ana R. Espaço Rural Português: da Retrospectiva Histórica às Principais Transformações em Curso,VI Congresso da Geografia Portuguesa,Lisboa,2007 (Conferência ou palestra).
4. Leitão, Nuno M. P; Oliveira, José A; Roca, Zoran. Espaço Rural: Noções, Instrumentos e Desafios,VI Congresso da Geografia Portuguesa,Lisboa,2007 (Conferência ou palestra).
5. Leitão, Nuno M. P; Carvalho, Luís. Mise en Cohérence des Politiques Publiques dans les Territoires Transfrontaliers – Étude de Cas: Incendies Forestiers,Séminaire Interform,Bayonne,2007 (Conferência ou palestra).
6. Carvalho, Luís; Leitão, Nuno M. P. O Impacto do Fenómeno Sísmico no Património Edificado: o Município da Amadora,26º GeoForum: "Protecção Civil: Abordagens e Ferramentas Científicas”,Lisboa,2007 (Conferência ou palestra).
7. Leitão, Nuno M. P; Carvalho, Luís. TIG e Análise Factorial na Valorização da Diversidade Territorial para o Turismo,I Conferência Nacional de Turismo e Tecnologias de Informação Geográfica,Lisboa,2006 (Conferência ou palestra).
8. Leitão, Nuno M. P; Roxo, Maria J. La Sécheresse et la Désertification,Séminaire Scientifique Transnational,Bayonne,2006 (Conferência ou palestra).
9. Ferreira, Maria J; Leitão, Nuno M. P. Reconfigurações Territoriais e a Mobilidade Residencial das Elites Urbanas,V Congresso da Geografia Portuguesa,Guimarães,2004 (Conferência ou palestra).

Carta, mapa ou similar
Chart, map or similar
1. Leitão, Nuno M. P; Mariano, Ana C. InterSIG: Visão Estratégica da Informação Geográfica do INAG, 2011 (Outra).
2. Leitão, Nuno M. P; Carvalho, Luís; Matias, Magda. Análise Climatológica de Cernache do Bonjardim, Sertã (1948-2008), 2010 (Outra).
3. Carvalho, Luís; Leitão, Nuno M. P; Matias, Magda. II Aniversário do Grupo Proteção Civil Portugal, 2010 (Outra).

Curso de curta duração lecionado
Taught short course
1. Leitão, Nuno M. P. Curso Livre de Fundamentos em Protecção Civil (6ª Ed.), 2012 (Outra), promovido por Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.
Duração: 3 horas. Local: Lisboa, Cidade: Lisboa, Tipo de participação: Docente.
O curso Fundamentos em Proteção Civil desenvolve uma abordagem introdutória sobre os principais aspetos relacionados com a proteção civil, tendo por objetivo a compreensão de conceitos e conteúdos por técnicos, agentes ou operacionais que não estejam familiarizados com eles, mas para os quais, o conhecimento dos mesmos é importante no desempenho das suas atividades. A Proteção Civil, nas suas diferentes vertentes, é uma disciplina transversal a vários domínios, pelo que a formação ministrada é sólida, e simultaneamente, concisa, atual e útil, beneficiando da experiência acumulada dos docentes que a leccionam, tanto a nível académico como ao nível operacional.

2. Leitão, Nuno M. P. Curso Livre de Fundamentos em Protecção Civil (1ª Ed.), 2010 (Outra), promovido por Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.
Duração: 2 horas. Local: Lisboa, Cidade: Lisboa, Tipo de participação: Docente.
O curso Fundamentos em Proteção Civil desenvolve uma abordagem introdutória sobre os principais aspetos relacionados com a proteção civil, tendo por objetivo a compreensão de conceitos e conteúdos por técnicos, agentes ou operacionais que não estejam familiarizados com eles, mas para os quais, o conhecimento dos mesmos é importante no desempenho das suas atividades. A Proteção Civil, nas suas diferentes vertentes, é uma disciplina transversal a vários domínios, pelo que a formação ministrada é sólida, e simultaneamente, concisa, atual e útil, beneficiando da experiência acumulada dos docentes que a leccionam, tanto a nível académico como ao nível operacional.

3. Leitão, Nuno M. P. Curso Livre de Fundamentos em Protecção Civil (2ª Ed.), 2010 (Outra), promovido por Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.
Duração: 2 horas. Local: Lisboa, Cidade: Lisboa, Tipo de participação: Docente.
O curso Fundamentos em Proteção Civil desenvolve uma abordagem introdutória sobre os principais aspetos relacionados com a proteção civil, tendo por objetivo a compreensão de conceitos e conteúdos por técnicos, agentes ou operacionais que não estejam familiarizados com eles, mas para os quais, o conhecimento dos mesmos é importante no desempenho das suas atividades. A Proteção Civil, nas suas diferentes vertentes, é uma disciplina transversal a vários domínios, pelo que a formação ministrada é sólida, e simultaneamente, concisa, atual e útil, beneficiando da experiência acumulada dos docentes que a leccionam, tanto a nível académico como ao nível operacional.

4. Leitão, Nuno M. P. Curso Livre de Fundamentos em Protecção Civil (3ª Ed.), 2010 (Outra), promovido por Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.
Duração: 2 horas. Local: Lisboa, Cidade: Lisboa, Tipo de participação: Docente.
O curso Fundamentos em Proteção Civil desenvolve uma abordagem introdutória sobre os principais aspetos relacionados com a proteção civil, tendo por objetivo a compreensão de conceitos e conteúdos por técnicos, agentes ou operacionais que não estejam familiarizados com eles, mas para os quais, o conhecimento dos mesmos é importante no desempenho das suas atividades. A Proteção Civil, nas suas diferentes vertentes, é uma disciplina transversal a vários domínios, pelo que a formação ministrada é sólida, e simultaneamente, concisa, atual e útil, beneficiando da experiência acumulada dos docentes que a leccionam, tanto a nível académico como ao nível operacional.

5. Leitão, Nuno M. P. Análise Estatística de Dados e de SPSS (X curso de Graduação Profissional em SIG), 2005 (Especialização), promovido por GEOPOINT.
Duração: 10 horas. Local: Lisboa, Cidade: Lisboa, Tipo de participação: Docente.

Organização de evento
Event organization
1. Leitão, Nuno M. P. 45º GeoForum: "Contributos para a Elaboração de Planos de Ordenamento de Estuário”,2012 (Seminário / Organização).
2. Leitão, Nuno M. P; Carvalho, Luís; Matias, Magda. 46º GeoForum / 4º aniversário Grupo Proteção Civil Portugal: "Planeamento de Emergência à Escala Municipal”,2012 (Conferência / Organização).
3. Leitão, Nuno M. P; Carvalho, Luís. 48º GeoForum: "O contributo da Universidade Lusófona para o Projeto Amadora Resiliente | Campanha UN – Internacional Strategy for Disaster Reductions 2010-2015”,2012 (Seminário / Organização).
4. Leitão, Nuno M. P. 49º GeoForum: "Governação Metropolitana em Portugal: reformas e temas por discutir ,2012 (Seminário / Organização).
5. Leitão, Nuno. 36º GeoForum - A Eficiência Energética na Reabilitação de Edifícios em Portugal,2010 (Seminário / Organização).
6. Leitão, Nuno M. P; Carvalho, Luís; Matias, Magda. VI Conferência do Altântico / 2º aniversário Grupo Proteção Civil Portugal,2010 (Conferência / Organização).
7. Leitão, Nuno; Carvalho, Luís; Matias, Magda. 32º GeoForum - 1º Aniversário do Grupo PROTECÇÃO CIVIL Portugal,2009 (Conferência / Organização).
8. Leitão, Nuno. 26 GeoForum - Protecção Civil: abordagens e ferramentas científicas,2007 (Seminário / Organização).
9. Leitão, Nuno. 25º GeoForum - Os SIG na gestão de cadastro para parques eólicos,2007 (Seminário / Organização).
10. Leitão, Nuno. 19º GeoForum - Rede Ferroviária de Alta Velocidade: Utilização das TIG,2006 (Seminário / Organização).








Indicadores de produção (Production indicators)

Total
Produção científica
Scientific production
40

Artigos científicos em revistas
Papers in periodics
5
Com arbitragem científica
With scientific refereeing
4
Sem arbitragem científica
Without scientific refereeing
1
Trabalhos em eventos
Papers in conference proceedings
26
Com arbitragem científica
With scientific refereeing
20
Sem arbitragem científica
Without scientific refereeing
6
Textos em jornais ou revistas
Texts in journals or magazines
8
Jornais de notícias
Newspapers
7
Revistas
Magazines
1
Outros tipos de produção científica
Other scientific production
1

Total
Produção técnica
Technical production
27

Outros tipos de produção técnica
Other technical production
27


Visualizações do curriculum [ 9590 ]
 
Página gerada pela Plataforma de Curricula DeGóis promovida pela FCT e pelo Gávea/DSI/UM em 18-12-2017 às 11:06:46
Plataforma de Curricula DeGóis: http://www.degois.pt | Icons by Axialis Team
Co-Autores Relacionados no DeGóis (4)
 Co-authors listed in Degóis
Colaboração em projetos no DeGóis (2)
 Project collaboration in Degóis